O que é Mindfulness?  É a simplicidade em si mesmo. Trata-se de parar e estar presente. Isso é tudo! Jon Kabat Zinn

V ivemos em uma sociedade que sofre com síndromes do pânico por conta do excesso de ansiedade.

Estamos sempre correndo de uma atividade para outra, enquanto almoçamos pensamos o que fazer a noite, quando estamos no banho pensamos qual a próxima atividade.

Já aconteceu com você de ler um livro e não lembrar do que estava lendo ou até mesmo estar em uma conversa e não conseguir ouvir exatamente o que a pessoa está dizendo, porque estava pensando em outra coisa? Sentir-se reativo e ter  sido ríspido e grosso com alguém porque respondeu de forma impulsiva?

mulher Praticando mindfulness Este mecanismo reforça o quanto a mente da maioria dos brasileiros estão com seus pensamentos em possíveis acontecimentos do futuro, ou presos em possibilidades que poderiam ter sido vividas no passado e quase nunca no momento presente, ou seja, estamos com o corpo em um lugar, mas a mente em outro completamente diferente.

Este padrão mental traz inúmeras emoções distorcidas, como raiva, stress, preocupações, humor deprimido e o corpo doente, estamos falando que em média 11,5 milhões de brasileiros sofrem de depressão ou algum distúrbio no sono, alimentação, emoções descontroladas pelo fato de não conseguir focar no agora.

Mas tenha calma… existe um caminho que ajudará a resgatar sua consciência para a atenção plena.

O que é mindfulness?

Em 2013, Kabat-Zinn escreveu esta definição:

“Mindfulness é o processo psicológico de chamar a atenção para as experiências internas e externas que ocorrem no momento presente, que podem ser desenvolvidas por meio da prática de meditação e outros treinamentos. É a simplicidade em si mesmo. Trata-se de parar e estar presente. Isso é tudo!

Outras definições para o que é Mindfulness

“Nossa tendência natural é de nos habituamos ao mundo em nossa volta, sem notar mais o que é familiar. Substituímos, também, com nomes abstratos e pressuposições, as evidências cruas de nossos sentidos. Em mindfulness, o meditante encara, metodicamente, os fatos reais da sua experiência, vendo cada evento como se estivesse ocorrendo pela primeira vez”. Daniel Goleman, The meditative

Mindfulness é a consciência que emerge quando prestamos atenção de propósito no momento presente, com compaixão e de coração aberto. Cultivando a consciência plena, descobrimos como viver no momento presente, em vez de ficarmos ruminando no passado ou nos preocupando com o futuro.

Como é um treinamento de Mindfulness?

Um treinamento integrante, baseado na mente-corpo, que capacita as pessoas a mudarem o modo que sentem e que pensam sobre suas experiências, especialmente as experiências estressantes.

“Mindfulness: prestar atenção aos pensamentos, sentimentos e sensações do corpo para torna-se diretamente consciente deles, e mais capaz de lidar com eles; têm raízes profundas nas antigas práticas de meditação e utiliza-se, também, dos recentes avanços científicos, tem valor potencial a todos para auxiliar a encontrarem paz em um mundo frenético” Oxford Mindfulness centre.

Meditação significa consciência, tudo o que faz com consciência é meditação. Tudo que faz com atenção plena é mindfulness. A ação não é a questão mais a qualidade que você faz determinada ação é o determina o todo.

Caminhar com consciência é meditar, sentar-se, ouvir os sons dos pássaros, sabor da comida pode ser mindfulness desde que esteja alerta e consciência.
Convite para acordar para a vida, não viva como se estivesse dormindo então tudo o que fizer será meditação.

null

História do Mindfuness  e a tradição oriental

A prática de atenção plena, com foco em manter viva a consciência ao momento presente é a base das práticas meditativas nas tradições budistas e orientais, entretanto a prática utilizada por eles está centrada na tradição com o olhar espiritual.

Os mais antigos ensinamentos conhecidos sobre a meditação da respiração, foram dados por Buddha há mais de 25600 anos. Durante 40 anos, proferiu vários discursos sobre o assunto, preservados em vários diferentes textos budistas. Talvez o mais claro e conciso se encontre no discurso de 118 do Majjina Nikaya, que refere-se ao texto chamado Ãnãpanasati Sutta.

Sutta é uma palavra em Pali** língua usada nos primeiros textos budistas, que significa “ensinamento oral. A palavra equivalente em sânscrito é sutra. Sutra significa literalmente “aquilo que foi escutado”. Sati significa “lembra”, é mais comumente traduzido como “atenção plena” ou estado de alerta. Pana em páli, ou prana, em sânscrito, é geralmente associado com a respiração, apesar de estar mais relacionado com energia. Essencialmente Ãnãpanasati é muito mais do que a mera observação da respiração. É um caminho para o despertar espiritual por meio do estudo do ir e vir da energia que mantém cada momento da vida”. Tarchin Hearn, livro respirando.

Entretanto, o mindfulness chegou ao ocidente através médico Jon Kabat-Zinn, que sistematizou todo o conhecimento que ele mesmo obteve por ter tido acesso a filosofia budista.

Seu objetivo era que a prática fosse para todos, ou seja, tornando-a totalmente laica e não religiosa. Isso se materializou inicialmente no campo da saúde no ano de 1979, criando assim um programa para redução de ansiedade na Universidade de Massachusetts.

Quebrando mitos sobre o mindfulness

Ainda existem muitas discussões sobre o que mindfulness e falta de informação para que as pessoas comecem a praticar no dia-a-dia, então listamos alguns itens esclarecendo alguns mitos cerca do assunto:

  • A meditação não é uma religião . A Atenção plena é apenas um método de treinamento mental;
  • Não é necessário sentar no chão de pernas cruzadas, mas pode, se quiser; A atenção plena pode ser praticada em qualquer, a qualquer momento;
  • Não exige tempo, mas é preciso ter paciência e persistência. A atenção plena pode aliviar as pressões cotidianas, liberando tempo para prioridades;
  • Atenção plena não tem nada a ver como sucesso ou fracasso, há benefícios psicológicos mesmo quando há dificuldade para meditar;
  • A meditação não vai entorpecer sua mente e nem obrigá-lo a adotar uma postura “Poliana”, mas o ajudará a ver o mundo com clareza para ser capaz de tomar atitudes mais sábias. Atenção plena ajuda a cultivar uma consciência mais plena;
  • Meditação não é ter a mente vazia, é escolher de forma intencional o que focar.
null

Benefícios comprovados da prática de mindfulness

O treinamento mental em mindfulness, ou atenção plena, é pesquisado por centros de excelência em todo o mundo, como Havard, Oxford, Massachusets, Stanford e Yale, com benefícios comprovados cientificamente ao longo dos últimos 30 anos, considerando por exemplo:

  • Estudos mostram que os meditadores regulares são mais felizes e mais satisfeitos do que a média das pessoas. Esses resultados têm uma importante repercussão na saúde, já que as emoções positivas estão associadas a uma vida mai longa e saudável.
  • A ansiedade, a depressão e a irritabilidade diminui com sessões regulares de meditação. A memória melhora, as reações se tornam mais rápidas e o vigor mental e físico aumenta.
  • Os meditadores regulares têm relacionamentos melhores e mais gratificantes.
  • Estudos feitos no mundo todo comprovam que a prática da meditação reduz os principais indicadores do estresse crônico, incluindo a hipertensão.
  • A meditação é eficaz também para reduzir o impacto de doenças graves, com dor crônica, câncer, podendo auxiliar no combate á dependência de drogas e álcool.
  • Além disso, pesquisas indicam que a meditação fortalece o sistema imunológico, ajudando a combater resfriados, gripes e outras doenças.

Referência: Mark Williams e Danny Pennman ” Livro: Atenção Plena – Mindfulness”

Vamos praticar mindfulness?

Para começar a prática de mindfulness é muito simples:

  1. Inicie com um minuto de presença;
  2. Reserve um alguns minutos para sentar-se confortavelmente e com uma postura alerta;
  3. Concentre-se sua atenção na sua respiração e como ela flui ao inspirar e expirar;
  4. Observe este movimento do seu corpo;
  5. Se sua mente divagar para outro lugar, traga sua atenção para sua respiração;
  6. Sem críticas, sem julgamentos apenas percebendo o movimento do seu corpo e sua mente;
  7. Sua mente pode estar aberta ou fechada para prática, seu único objetivo é focar atenção na respiração e observar seu mundo interno.

Este passo é muito importante que dará para seu autoconhecimento e de maneira amorosa perceber um pouco mais sobre si mesmo.

E você já faz prática de mindfulness em sua vida?

O que achou do post?

Compartilhe essa postagem:
Herica Ponsiana

Herica Ponsiana

Meu propósito é servir como ponte para que as pessoas possam perceber que elas têm todo poder interno e que podem transformar suas vidas através do autoconhecimento, despertar em cada um o pleno potencial de criação.