Qual seria a possível evolução do homem? Para tentarmos responder tal pergunta devemos primordialmente considerar que o homem é um ser inacabado. Somos desenvolvidos até certo ponto e para conseguir continuar nessa evolução, precisamos ter uma forte iniciativa e força de vontade para não estagnar ou perder a capacidade de desenvolvimento.

Então a evolução do homem, que abordarei nesse texto, se dá pelo desenvolvimento de qualidades e características interiores que não se autodesenvolveram e que permanecem em um estado considerado embrionário.

Assim como nos dedicamos a estudar assuntos que julgamos importantes para nossas vidas e carreiras o estudo de si mesmo te proporcionará o mais valioso dos resultado e o maior dos desafios.

O Homem não se conhece

Devemos reconhecer que não sabemos nossos próprios limites. Não sabemos nem reconhecer até qual ponto não nos conhecemos. Estamos cheios de ideias falsas sobre nos mesmos. Nos definimos apenas pela nossa capacidade em fazer. Se eu sei fazer isso, então sou isso. Se sei fazer aquilo, sou aquilo.

Acreditamos que estamos no comando dessa máquina chamada ser humano. Porém reduzimos nossas imensas capacidades em apenas fazer. Não nos damos contas que a maior parte de nossas decisões são baseadas por influência externas. Todas as nossas decisões, ações, palavras, emoções, ideias, humores são causados por fatores externos.

Podemos atribuir a essa visão um falso senso de controle por nossa parte ou até mesmo recusar que agimos como marionetes, respondendo apenas a estímulos externos. Porém, o quanto antes reconhecermos esse ponto de vista é que podemos encontrar meios de não agirmos mais como marionetes.

O que é desenvolvimento e como iniciar uma mudança?

Antes de obter novas capacidades, o homem deve se esforçar para desenvolver nele próprio, as capacidades que acredita já possuir, e que são em última análise, a causa de suas maiores ilusões.

A explicação para isso reside nas mentiras cotidianas que nos contamos. Quando nos autoenganamos através das diversas histórias que justifiquem nossa falta de capacidade e vontade. Sucumbindo a reatividade, autosabotagem, vitimismo.

Por isso foi mencionado que a evolução é uma questão de esforço pessoal, pois é necessário que saibamos disso antecipadamente, para seja possível qualquer tipo de esforço para adquirir aquilo que imaginávamos ter. Analogamente como estaríamos dispostos a comprar algo que já acreditamos ter?

Dessa forma, chegamos a fato que o estudo de si mesmo não pode se basear em mentira. O homem deve saber o que lhe pertence ou não e dar se conta que não possui algumas qualidades que se atribuiu.

via GIPHY

A consciência

Até agora vimos que para o homem se desenvolver ele precisa se dar conta de que não se conhece e adquirir verdadeiramente as habilidades que já acredita possuir para sair do modo automático.

Uma das grandes capacidades que acreditamos já possuir e que é essencial para o desenvolvimento do trabalho sobre si, é o de estar consciente.

Não temos uma explicação cientifica correta para o que é a consciência, ao mesmo tempo que podemos encontrar diversas definições sobre a mesma através da filosofia. Aqui considerarei como o momento da “tomada de conhecimento de si mesmo”.

Dessa forma, ninguém pode julgar se uma pessoa está consciente ou não. Somente o próprio individuo é capaz de saber se sua consciência existe ou não naquele momento.

Assim como entramos em piloto automático ou divagamos em um pensamento. Nossa consciência vai e volta. Fica mais ativa ou mais passiva. O fato é que temos diversos graus de consciência, considerando a duração, frequência e amplitude. Além dos diferente estados de consciências que não abordarei aqui, tais como: estado de sono, vigília, etc.

Se não estamos consciente estamos criando uma ilusão de ser consciente. E isso esta relacionado com nossa capacidade de lembrar. Pois quando estamos conscientes armazenamos melhor as experiências e quando não estamos apenas lembramos como uma situação que já aconteceu, mas que são vagamente trazidas como memória.

Então, estar consciente é também um estado de atenção ou atenção plena. Ficar atento tem se tornado uma tarefa muito difícil, principalmente devido aos nossos aparatos tecnológicos que a todo momento estão furtando nossa atenção.

O primeiro passo para o desenvolvimento

Dessa forma para que possamos dar um passo em nosso desenvolvimento como ser humano, uma precondição é, sem dúvida, se tornar mais consciente. O estudo sobre si mesmo implica na capacidade de observar a sua consciência. Você pode fazer isso através de uma simples pergunta: Estou consciente agora?

Quando nos fazemos essa pergunta devemos observar: Como está minha mente agora? Estou vivendo a experiência presente ou pensando em algo do passado ou futuro? Estou ansioso? Como está minha respiração? Estou sentindo algo em meu corpo? Estou sentado corretamente? Minha espinha está ereta? Onde estou? O que esto fazendo? Existem fatores externos que estão me causando algo? Estou fazendo algo que impacta o meio que estou envolvido?

Esse é um exercício que você pode começar a praticar para se tornar mais consciente. Futuramente trarei mais exercícios de como você pode prolongar seu estado de consciência e aprofundaremos mais nesse tema.

O grande cerne do estudo de si mesmo é para que possamos estar mais presentes em nosso veículo corporal, em nossas relações e como nos relacionamos com tudo a nossa volta. Esse é início de um belo caminho para liberdade, a saída da matrix e do mundo dos sonhos. Mas é um caminho somente para aqueles que querem acordar.

Referências

Thiago Santos

Thiago Santos

Sou um cientista do meu próprio ser, um buscador de conhecimento e experiências. Estou aprendendo a ouvir e seguir minha voz interior a cada dia e compartilhar meu aprendizado.