Como a liderança compassiva gera mais resultados

Compartilhe

Descubra as vantagens das empresas que possuem uma liderança compassiva e o que você pode fazer para desenvolver seus líderes!

A liderança compassiva

Recentemente um post no LinkedIn chamou minha atenção. Nele estava a frase: “seu chefe tem mais impacto na sua saúde mental que seu terapeuta!”.

Forte não é? O Curioso é que 99% das pessoas (que não sejam chefes) vão concordar com essa frase.

Vou te contar uma história rápida, eu já tive líderes ruins durante minha carreira, mas nada se compara com minha última experiência trabalhando para uma multinacional.

Meu líder era tóxico, não demonstrava empatia e só queria saber de resultados. Não havia reconhecimento, comemorações ou empatia. Esse cenário parece familiar?

Bom, eu até culpava ela por isso, até que descobri um estudo científico que mudou totalmente minha percepção. O estudo é chamado: “O poder muda a forma como o cérebro responde aos outros” (OBHI S. S, Power changes how the brain responds to other).

Basicamente, esse estudo provou que o poder reduz a nossa capacidade de empatia e que os poderosos muitas vezes têm uma compreensão relativamente superficial dos outros.

Por meio de equipamentos de mensuração neurológicas, os cientistas analisaram pessoas que ocupavam papel de poder, sofriam uma debilidade na área do cérebro responsável pela capacidade de compreender as emoções dos outros. Em termos mais técnicos, tinham uma redução de atividade dos neurônios espelhos.

O poder gera uma bolha que aprisiona as pessoas em seu próprio mundo! Acredito que seja por isso que vemos tanta corrupção, mas esse é outro assunto.

Então qual é a tal habilidade que os líderes precisam desenvolver?

É a compaixão. Sim, a compaixão.

A compaixão é uma intenção em beneficiar os outros e ela possui algumas qualidades interessante como desejar que as pessoas sejam felizes, desejar aliviar o sofrimento alheio, enxergar os outros com igualdade e por fim, sentir alegria em ver os outros alcançando o sucesso.

A compaixão não torna os líderes fracos, essa é uma habilidade que exige força e coragem. Pois ela muda como você vê as coisas.

Pense naquela figura que você teve contato e admira, essa pessoa já teve que ser dura com você para que você conseguisse progredir? Geralmente esse é um atributo forte em nossos genitores ou responsáveis.

Outra pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia do Norte, constatou que os líderes compassivos são vistos como melhores e mais fortes.

Dessa forma, quando os líderes se interessam pela felicidade dos funcionários, eles se sentem estimados e respeitados e isso gera uma conexão profunda entre eles. O resultado? Aumento no comprometimento, na confiança e também reduzindo a rotatividade. Você sairia de um lugar que é feliz?

 

Imagem com o texto: A nova habilidade da liderança

Como desenvolver a liderança compassiva?

Essa é uma habilidade que pode ser desenvolvida através da prática. As perguntas abaixo ajudarão a enxergar pela lente da compaixão:

O líder compassivo precisa desejar a felicidade dos outros

  • Como eu posso ajudar essa pessoa ou organização a terem sucesso?
  • Qual a última vez que você se perguntou como pode trazer felicidade para as pessoas que lidera, seus clientes que serve?

O líder compassivo precisa pensar em como aliviar o sofrimento

  • Quando você toma decisões que afetam os outros negativamente, como se sente?
  • Pensar dessa forma, muda alguma coisa?

O líder compassivo precisa sentir alegria pelo sucesso dos outros

  • De que forma você poderia se beneficiar se houvesse mais alegria pelo sucesso dos outros?

O líder compassivo precisa ver os outros com igualdade

  • Sei que todos somos iguais e me permito ver as pessoas da mesma forma?
  • Estou aberto a ver o que tenho em comum com as outras pessoas?

Quais são as vantagens da liderança compassiva?

  1. Motivar seus funcionários: Os funcionários se sentem mais engajados quando tem um líder que os valorizam e os respeitam.
  2. Criar um ambiente de segurança psicológica: Contribui para um ambiente de confiança entre líderes e funcionários, essencial para um ambiente de trabalho que quer gerar os melhores resultados.
  3. Resolver conflitos: Os líderes são mais propensos a resolverem os conflitos de forma justa e eficaz.
  4. Tomar decisões éticas: Ajuda os líderes a tomar decisões que são justa e benéficas para todos envolvidos.

E para concluirmos, algo muito importante. Para um líder se tornar compassivo, ele precisa aprender a aplicar a compaixão de forma sensata e com sabedoria, pois ela é uma das várias habilidades que definem um bom líder.

Eu convido todos os líderes a refletir sobre a importância da compaixão e a buscar maneiras de desenvolver essa habilidade em suas vidas.

Também convido as pessoas que não ocupam cargo de liderança, a enxergar qual área da vida, por menor que seja, desempenham esse papel para aplicar a compaixão.

Esse é um dos temas que trabalhamos em nosso programa Líder Consciente e cujo objetivo é desenvolver os líderes para lidarem com as demandas emergentes que enfrentamos.

Para você

Post relacionados